INÍCIO     NOTÍCIAS     VÍDEOS    CINEMA    EVENTOS    FEMININO    GALERIA DE FOTOS    CONTATO
Ismar Alves
Acusado de desferir golpes de foice em fazendeiro será levado a Júri Popular
28/11/2019 às 20:27:46

 

O réu Ismar Alves, acusado de ter desferido vários golpes de foice no fazendeiro Matozinho Quirino Tibúrcio, será levado a julgamento pelo Tribunal do Júri em Itabira. A sentença de pronúncia foi proferida ontem, terça-feira, 27 de novembro de 2019, pela Meritissima Juíza de Direito Cibele Mourão. A data do Júri Popular ainda não foi definida pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Polícia Civil prende suspeito de desferir golpes de foice em um homem no Praia - Clique aqui

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) ofereceu a denúncia relatando que no dia 2 de março deste ano, por volta das 18h, em uma fazenda na Avenida Li Guerra, no Bairro Praia, em Itabira, o denunciado, embriagado, teria desferido vários golpes de foice na vítima e que só cessou as agressões por acreditar que o fazendeiro já estava morto.

Na ocasião, Matozinho Tibúrcio chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu dias depois. A denúncia acrescenta ainda que o réu, Ismar Alves, teria agido por motivo fúteis, após desentendimento anterior, que ainda usou de recurso que dificultou a defesa da vítima, que estava desarmada e teria sido atacada repentinamente.

O acusado, que teve a prisão preventiva decretada, foi preso pela Polícia Civil na cidade de Rio Piracicaba e desde então aguarda o julgamento em uma unidade prisional. Diante da denúncia, e dos autos do processo, com amparo no artigo 413 do Código de Processo Penal, a juíza acolheu o pedido e pronunciou o réu para que seja levado a julgamento pelo Tribunal do Júri, pela infração penal prevista no artigo 121, §2º, II e IV do Código Penal Brasileiro.

A juíza manteve Ismar Alves preso para garantia da aplicação da lei penal, devido também o acusado ser conhecido por nomes diversos, que ele ainda tentou fugir da culpa se apresentando à Polícia Civil como nome de outra pessoa, o que indica a necessidade de manter a prisão preventiva do acusado.

Thales Benício - ItabiraNet.com







E-mail: contato@itabiranet.com

(31) 8891-0512

NOTÍCIAS EM ÚLTIMO MINUTO!

© ItabiraNet 2019. Todos os direitos reservados. Webmail